FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 11 Ago 2021

Volta a Portugal: Marque não queria levar a amarela por respeito a Daniel Freitas

Alejandro Marque foi obrigado pelos regulamentos a levar a camisola amarela da Volta a Portugal na sexta etapa, mas o ciclista do Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel prometeu entregá-la a Daniel Freitas no final da prova.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Quando o rumor de que Daniel Freitas não iria alinhar na sexta etapa, devido a um novo caso suspeito de infeção com o novo coronavírus na Rádio Popular-Boavista, se propagou no pelotão, o galego, de 39 anos, foi perentório em afirmar que não queria levar a amarela.

Minutos depois, ‘Alex’, que era segundo na geral, a 42 segundos do ‘boavisteiro’, foi informado que ‘herdara’ a amarela de Freitas e que teria de a usar nos 182,4 quilómetros entre Viana de Castelo e Fafe.

“Esta camisola pertencia ao Daniel Freitas. Por termos regulamentares, temos de a levar, se não, por respeito, gostaria que hoje não houvesse camisola amarela, em homenagem a ele”, disse um desanimado Marque.

Ao sair do autocarro do Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel, Marque trazia a amarela com a inscrição ‘Dani Freitas’ rabiscada no tecido.

“A minha pequena homenagem é levar o seu nome aqui, porque esta é dele. No fim da Volta, vou entregá-la a ele. É algo muito especial levar isto, ele está a perder um dia de que iria desfrutar ao andar pelas estradas da sua zona, perto da sua terra. Isto vai para a sua família”, declarou o galego.

Assim, o vencedor da Volta de 2013 é novamente líder da geral, com cinco segundos de vantagem sobre Amaro Antunes (W52-FC Porto) e 25 sobre Frederico Figueiredo (Efapel).

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts