FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 20 Set 2021

Autárquicas: BE defende criação de departamento municipal para o turismo em Viana do Castelo

O candidato do BE à Câmara de Viana do Castelo defendeu hoje a criação de um observatório e de um departamento municipal para o turismo, por considerar que a estrutura TPNP “serve mal” o concelho.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

“A estrutura [Turismo do] Porto e Norte de Portugal serve mal Viana do Castelo. Viana do Castelo deve criar um departamento específico para tratar do turismo”, afirmou o cabeça de lista do Bloco de Esquerda, Jorge Teixeira.

Segundo o arquiteto, de 56 anos, na página oficial da TPNP na Internet a informação sobre a capital do Alto Minho “está desatualizada”, apontando o exemplo de “restaurantes que fecharam há anos”.

“Um deles, curiosamente, é hoje sede de candidatura do PS. Não se compreende como é que isto está neste estado”, disse, acrescentando que aquela página também não oferece outro tipo de informação útil ao turista como, por exemplo, entretenimento.

Para o candidato do BE, a “Câmara de Viana do Castelo já devia ter tomado uma posição junto da Porto e Norte de Portugal”, porque “enquanto integrar aquela estrutura deve exigir o melhor possível” para o concelho.

“Ouvimos agora rumores que o próprio Porto quer sair”, observou, lamentando que a “Câmara não esteja atenta”, caso contrário ter-se-ia apercebido da situação.

“Provavelmente ninguém consulta aquilo. Para exigir, a Câmara precisa de saber. Neste momento, Viana do Castelo é um deserto naquele espaço virtual”, garantiu.

Como alternativa, o candidato do BE defendeu a criação de um departamento municipal específico para tratar do turismo.

“Do organigrama da Câmara consta uma secção para o turismo, mas creio que, neste momento, nem tem chefia nomeada. Tem de ser criado um departamento que junte os agentes turísticos, organize os recursos em produtos turísticos e faça a promoção de Viana do Castelo enquanto produto turístico noutros locais”, afirmou.

De acordo com Jorge Teixeira, que é também professor do Instituto Politécnico de Viana do Castelo Viana do Castelo (IPVC), o concelho “tem de tirar maior partido” do setor porque “dessa aposta resultará a valorização do património, do património arqueológico que está abandonado, dos trilhos e das ecovias que é preciso fazer, porque hoje as apostas no turismo [passam pelo] ativo de natureza e turismo sénior”.

A criação de um observatório para o turismo é outras das propostas do BE, por considerar que irá permitir “estudar o fenómeno e dar sugestões”.

“Todos os anos somos confrontados com um número de visitantes durante os dias as Festas d’Agonia de cerca de um milhão de pessoas. Nunca fizemos uma avaliação séria sobre isso. Não se compreende que a capital de distrito tenha um número de dormidas por 100 habitantes muito inferior à de quase todos os municípios do Alto Minho. Precisamos de olhar para as festas com sentido crítico, não para as desvirtuar, mas para perceber quais as fragilidades, as mais valias que nos podem trazer”, especificou.

Garantiu que o concelho “tem instituições que podem fazer esse trabalho e recursos humanos qualificados nesta área”.

Além de Jorge Teixeira pelo Bloco de Esquerda, concorrem às eleições do dia 26 Luís Nobre pelo PS, Eduardo Teixeira pela coligação PSD/CDS-PP, Cláudia Marinho pela CDU, Rui Martins pela Aliança, Paula Veiga pelo Nós, Cidadãos!, Maurício Antunes da Silva pelo IL e Cristina Miranda pelo Chega.

Nas autárquicas de 2017, o PS conquistou 53,68% dos votos e garantiu seis mandatos. O PSD atingiu os 21,25% (dois mandatos) e a CDU (PCP/PEV) alcançou 8,11% (um eleito).

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts