FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 04 Jan 2022

Melgaço não tem farmácias com serviço noturno de emergência e o PSD quer intervenção imediata do Governo

O PSD exige que o Governo, através do Ministério competente, se reúna com urgência com as farmácias de Melgaço para criar condições de forma que os serviços de urgência destas se mantenham abertas 24h por dia e que não encerrem durante o período da noite. Uma situação que para além de Melgaço se poderá estender a outros municípios.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Esta informação foi obtida através de um documento a que os candidatos social-democratas tiveram acesso e no qual e que dá conta de uma proposta que foi aprovada pela Administração Regional de Saúde e que refere a que a partir do passado dia 1 de janeiro, o serviço de urgência das farmácias do concelho de Melgaço funcionará até às 24h. A partir dessa hora fica disponível a linha telefónica 1400 que encaminhará os utentes para a farmácia de serviço mais próxima, ou seja, em Monção.

O serviço à população também será afetado ao fim de semana e feriados, pois aos sábados após as 13h e aos domingos e feriados passou a estar ao serviço apenas uma farmácia.

“Acreditamos que se instalará um sentimento de indignação e repúdio se o Governo nada fizer para reverter esta posição e ajude as farmácias a realizarem este serviço público”, referem os candidatos do PSD pelo distrito.

“Estamos a pedir a uma população, que vive num território mais afastado do distrito que em caso de urgência e de extrema necessidade seja obrigada a deslocar-se a Monção para obter medicação ou tratamentos que necessitam na hora”, relembraram, salientando que “isto não é aceitável”.

Logo os candidatos sociais-democratas exigem à ARS Norte “uma ação real que contrarie esta decisão e que não demonstre a sua indiferença para com os territórios com baixa densidade”.

“Sem serviços para a população, como conseguimos atrair novos residentes e investimentos para estes territórios?” questionaram ainda os candidatos.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts