FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Francisco Faria Pinto 22 Jan 2022

Partidos com representação parlamentar na corrida às legislativas 2022 debatem na GEICE FM

Os partidos com assento parlamentar na Assembleia da República, na corrida às legislativas de 2022 pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo, marcaram presença no debate, organizado pela Rádio GEICE FM e Rádio Alto Minho, no Teatro Municipal Sá de Miranda.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Tiago Brandão Rodrigues, candidato pelo Partido Socialista, afirma que o “PS apresenta-se sabendo que os altominhotos nos conhecem”. O candidato socialista defende uma “aposta na fibra ótica”, a “dignificação do ensino profissional”, “medidas de política pública pra maior igualdade e medias de política social” e a aposta na “cooperação transfronteiriça”. Na área da mobilidade, Brandão Rodrigues defe que a eletrificação da Linha do Minho deu nova “capacidade de mobilidade de mercadorias” e que com o executivo socialista a região passou a dispor de um “intercidades que vai de Valença até Lisboa”.

Em Viana do Castelo, o primeiro candidato pelo PSD é Jorge Mendes. O social-democrata prioriza a ação política na “necessidade de normalizar o funcionamento dos serviços públicos”, defendendo que o Estado “tem de comportar como uma pessoa de bem, pagando a horas a prestação de serviços”. O Partido Social Democrata de Viana do Castelo quer resolver o problema do despovoamento na região, revendo o abono de família para fixar casais.

O Bloco de Esquerda de Viana do Castelo faz-se representar por Luís Louro. O bloquista defende “o SNS, o trabalho com direitos e a habitação condigna”. Para Luís Louro, a região deve apostar no “turismo de natureza” e reforçar a produção do setor vinícola. Na saúde, o Bloco de Esquerda de Viana do Castelo promete a requalificação das valências da ULSAM e a internalização do serviço de radiologia.

“O que vai servir o país, vai servir a região, é necessário uma política de valorização de salários e de valorização do mercado interno”, defendeu o candidato da CDU pelo círculo de Viana do Castelo, Celestino Ribeiro, no debate desta quinta-feira. O candidato da Coligação Democrática Unitária, aponta que é “praticamente impossível garantir habitação a um jovem” e que “temos política de emprego que não lhes garantem uma carreira digna”. Celestino Ribeiro aponta como eixo central do seu programa a defesa da água pública, acessível a todos.

A bandeira de Joana Mendes, primeira candidata pelo CDS-PP na região do Alto Minho, aponta para a “atratividade e competitividade to território para fixar empresas” por via da “diminuição da taxa de IRC para 19%” e com “mão de obra qualificada”. Reforçar a política de natalidade, desenvolver a ruralidade e o ambiente e utilizar os fundos europeus em “áreas prioritárias para a região” são também algumas das medidas defendidas pelos centristas para o Alto Minho.

Miguel Queirós, do partido Pessoas-Animais-Natureza, começou o debate por congratular a cidade de Viana do Castelo por ser “anti-touradas”, defendendo que a “causa animal é aquela que merece ser sempre falada em primeiro pelo PAN”. Miguel Queirós lembra que o ambiente “deve ser um padrão de todos os investimentos” na reconversão energéticas das empresas e propõe a “taxação das empresas que poluem e beneficiam das negative green taxes”.

O candidato do Chega pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo, Manuel Moreira, apresenta-se como “empresário há 30 anos em Viana do Castelo”. O candidato pretende “reativar negócios em Viana” e “motivar as empresas” a vir para o concelho. Investir na agricultura, “pensar na terra” e “comprar aquilo que é nosso” são outras das preocupações que o partido Chega defende.

No debate desta quinta-feira, a primeira candidata da Iniciativa Liberal pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo, Ivone Marques, fez-se representar por Pedro Silva. A Iniciativa Liberal defende que Viana tem “um problema de poder de comprar”, afirma o número 2 da Iniciativa Liberal. “Dar maior saúde e condições para fixar as pessoas em Viana do Castelo” são outras das medidas defendidas pelo partido. Pedro Silva sublinha que “há muitos jovens que não conseguem estar em Viana do Castelo porque não têm condições para se fixar” e que o hospital vianense “não tem um conjunto de valências importantes para servir a população”.

O partido Livre faz-se representar no círculo eleitoral vianense pelo candidato Filipe Faro da Costa. Na saúde, o candidato destaca a “falta da valência de neurologia” no serviço hospital da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) e defende a criação de projetos de autosuficiência energética. No setor cultural, Filipe Faro da Costa diz que “é necessário criar espaços de criação cultural” e instituir bolsas culturais para o cinema e o teatro.

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts