FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 22 Fev 2022

Feira de música MUMI 2022 acontece em Tui e Valença entre 29 setembro e 01 de outubro

A feira de música MUMI 2022 vai acontecer entre 29 de setembro e 01 de outubro, entre Tui (Espanha) e Valença (Portugal), ligando as “indústrias musicais galega e portuguesa na Eurocidade Tui-Valença”, anunciou a organização do evento.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

“A partir de 24 de fevereiro, todas as pessoas interessadas em participar no MUMI 2022 podem inscrever-se no encontro através da ‘web’ mumimusicas.eu. A convocatória para candidatar propostas de artistas e bandas galegas e portuguesas permanecerá aberta até 31 de março. As inscrições para profissionais estarão abertas até às datas de celebração do evento”, anunciou Diana Martins, representante de uma equipa organizadora com estrutura em ambas margens do rio Minho. Em ambos os casos a participação é gratuita, acrescentou Diana Martins.

“O MUMI é uma grande oportunidade para converter a Eurocidade Tui-Valença num polo de intercâmbio cultural e económico entre os dois países. (…) O MUMI encontrou na Eurocidade Tui-Valença o enclave perfeito para se consolidar e converter-se na feira musical de referência do oeste peninsular”, afirmou Roxo”, disse, por seu turno, Manuel Vicente Roxo, outro representante da equipa organizadora do MUMI 2022 pela parte espanhola.

A 3.ª edição MUMI, que vai ter a duração de três dias, vai reunir empresas, artistas e profissionais à volta das músicas feitas na Galiza (Espanha) e Portugal, com uma programação de “conversas, ‘showcases’ e ‘speedmeetings’ para público profissional”, e terá “atividades abertas à cidade, em locais emblemáticas de Tui e Valença”, anunciou hoje a organização, em conferência de imprensa, no Teatro Municipal de Tui.

Diana Martins e Manuel Vicente Roxo manifestaram a sua satisfação por ter apostado e encontrado na Eurocidade Tui-Valença uma “garantia de estabilidade para o MUMI”, assumindo que 2002 é o ano em que se pretende consolidar o MUMI “tanto em programação como em calendário”

Um dos “grandes objetivos” do MUMI é “atrair programadores do setor público” e fazer com que a feira se converta num ponto “obrigatório de encontro para as contratações artísticas dos concelhos e câmaras municipais dos dois territórios”, lê-se num comunicado enviado hoje à agência Lusa.

“O MUMI pretende afirmar-se, no prazo de cinco anos, como a Feira Internacional da Lusofonia, uma presença anual que permita explorar novas possibilidades de um setor estratégico, servindo de escaparate e de ponto de encontro para ambos países, e também para todas aquelas empresas, entidades e iniciativas que vêm na música um espaço de promoção e de diferenciação”.

Na 2.ª edição do MUMI, participaram mais de 80 artistas e 132 profissionais galegos e portugueses do setor musical, entre agências, programadores públicos e privados, jornalistas culturais, empresas de serviços e editoras, tendo recebido cerca de “dois mil visitantes que participaram na programação cultural e turística que encheu durante três dias as ruas e espaços de ambas as cidades”, recordou Roxo.

No evento anterior houve um total de 19 concertos, cinco conferências e dezenas de encontros de negócios à volta da música.

Participaram hoje na apresentação da 3.ª edição do MUMI, o alcaide de Tui, Enrique Cabaleiro González, o presidente e responsável de Cultura da Câmara Municipal de Valença, José Manuel Carpinteira, bem como a conselheira da Cultura de Tui, Sonsoles Vicente, e o chefe territorial da Xunta em Pontevedra, César Pérez Ares.

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts