FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 28 Abr 2022

Piloto vianense Nelson Silva quer “andar rápido” no Rali de Mortágua

Será nas desafiantes estradas de terra do concelho plantado no Centro de Portugal que o piloto de Viana do Castelo fará a segunda prova aos comandos da sua nova “montada”, integrado no pelotão do Campeonato Promo de Ralis. Nelson Silva encara o Rali de Mortágua como mais um passo na aprendizagem do Toyota Yaris Proto, sem enjeitar lutar pelos lugares cimeiros.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O piloto Viana do Castelo estreou um novíssimo Toyota Yaris Proto no Rali Terras d’Aboboreira. A estreia ficou marcada pela juventude do carro japonês, que ainda assim encerra um enorme potencial que Nelson Silva quer explorar mais em Mortágua.

Os problemas surgidos na prova de estreia são naturais, atendendo às limitações existentes, como explica o piloto vianense: “Não tivemos tempo para testar e o carro não vinha configurado da forma mais adequada para a terra. O motor tinha cerca de 400 cv e a FPAK impôs um restritor de 36 mm, fazendo baixar a potência para 300/320 cv”, sendo ainda de realçar que “as suspensões Proflex antigas não são adequadas para pisos de terra e teremos de montar no futuro umas Reiger, que são as ideais para esse terreno. Da mesma forma a Centralina vinha bloqueada pelo antigo proprietário e perdemos tempo com isso”.

Ainda assim o piloto de Viana do Castelo destaca as qualidades do seu novo Yaris Proto: “É um carro incrível, com um chassis e um diferencial fabulosos, tal como a caixa de velocidades sequencial Sansonas, que lhe permite andar ao nível dos N5 ou até acima”, esperando Nelson Silva, que será navegado por Paulo Silva, que “em Mortágua possamos andar mais forte. O tempo entre as duas provas permitiu trabalhar no carro e também já chegarei a este rali mais confiante. Claro que as suspensões não são as mais adequadas, sobretudo para terra, já que para asfalto o carro já está muito bom e mais perto do que desejamos. Não vamos a Serpa, e vamos poder evoluí-lo mais depois do Rali de Mortágua”, acrescenta.

Para Nelson Silva “um lugar no Top 5 da geral do Promo seria um resultado muito positivo, mas, como tenho referido, estas primeiras provas são sobretudo para conhecer o carro e aprender a tirar todo o seu potencial. As classificativas desta prova são muito duras e teremos que abordar o rali com muito juízo”.

O Clube Automóvel do Centro construiu para o rali de Mortágua 2022 um percurso total de 162,79 quilómetros, distribuído ao longo da noite desta sexta-feira e do dia de sábado, 84,24 dos quais disputados ao cronómetro, correspondentes a uma dupla ronda por 4 troços: Super Especial de Mortágua (2,20 km), Mortágua (7,75 km), Laceiras 13,08 km) e Aguieira (19,09 km).

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts